quinta-feira, 30 de junho de 2011

Inter venceu


O resultado foi a goleada do Internacional, por 4 a 0, na noite desta quinta-feira, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Em dois jogos o time atleticano foi vazado oito vezes. Os torcedores atleticanos viram o time gaúcho fazer um gol atrás do outro, reagindo com gritos de “olé” e "adeus Dorival". Os gols do time gaúcho foram marcados por Leandro Damião e Zé Roberto, aos 9min e 10min, e por D’Alessandro e Oscar, aos 30 min e 34 min. Depois de um empate sem gols na etapa inicial e de mandar uma bola na trave, logo aos 2 min, por meio de Daniel Carvalho, o Internacional aproveitou-se de dois vacilos da defesa atleticana e construiu a sua segunda vitória consecutiva, chegando a cinco jogos invictos e mantendo também essa condição como visitante, com duas vitórias e dois empates. Dessa forma, o Internacional chegou a 12 pontos, mesmo número do Fluminense, ocupando a oitava posição, uma atrás do Tricolor carioca. Já o Atlético-MG, derrotado pela terceira vez e a segunda consecutiva – levou de 4 a 1 do Flamengo, no Rio –, se manteve com oito pontos, na 11ª posição. Para piorar a situação, o alvinegro mineiro termina a sétima rodada atrás do rival Cruzeiro, que venceu o Vasco, por 3 a 0, e soma nove pontos. O Atlético-MG, que chegou a liderar o Brasileiro, com 100% de aproveitamento nas duas rodadas iniciais, não vence há cinco jogos. Além disso, não conseguiu quebrar o tabu que já dura nove anos sem vencer o Internacional. A última vez que isso aconteceu foi em 2002, por 3 a 2, no Independência. Foi o 15º jogo dessa marca negativa, com oito triunfos gaúchos e sete empates.
Na próxima rodada, o Inter abre as portas do Estádio Beira-Rio às 19h30 (de Brasília) de quarta-feira para receber o lanterna Atlético-PR, que tem apenas um ponto em 21 possíveis no campeonato. No mesmo dia, mas às 21h50, o Atlético-MG enfrenta o Ceará, fora de casa

Domingo tem Paranaguá x Ipiranga



O mau tempo verificado na última semana fez com que a decisão da Copa Libertadores do Nordeste 2011, que estava marcada para ocorrer no domingo, dia 26, fosse transferida para o próximo domingo, dia 03 de julho. Como esta semana o tempo está firme e não choveu, o jogo deverá ser realizado mesmo no próximo domingo. Na final o Ipiranga, time que representa a Terra da Longevidade na competição, está em busca do segundo título consecutivo. Para isso, a equipe precisa vencer o Paranaguá por dois gols de diferença, ou vencer por um gol de diferença para levar a decisão para a prorrogação e para as penalidades máximas. A vitória se faz necessária, pois o Ipiranga perdeu em casa por 1 a 0. Para o Paranaguá o empate, ou vitória por qualquer resultado faz com que o time de Nova Roma do Sul comemore o titulo regional. A decisão ocorre na cidade de Nova Roma do Sul.

O ciclo de Renato no Grêmio

Renato assumiu o Grêmio em um momento delicado em agosto de 2010, já que a equipe lutava para se livrar da zona de rebaixamento do Brasileirão. Na estreia, perdeu para o Goiás por 2 a 0 no estádio Olímpico e foi eliminado da Copa Sul-Americana. Dias depois, venceu o mesmo time goiano por igual placar em Porto Alegre. Renato comandou a reação do Tricolor no campeonato nacional. Tirou a equipe das últimas colocações e a colocou na Copa Libertadores, com a vaga confirmada após a derrotada do Goiás para o Independiente, na final da Sul-Americana. Em 2011, porém, Renato jamais teve o mesmo desempenho que encantou o torcedor no ano passado. Com uma campanha claudicante na primeira fase da Libertadores, assegurou a segunda posição em grupo fraco e chegou a ser goleado pelo Oriente Petrolero, na Bolívia. No Gauchão, conquistou o primeiro turno em uma partida sofrida diante do Caxias, no Olímpico, com um empate nos acréscimos e uma vitória nos pênaltos. Mas o pior veio depois. O Grêmio foi eliminado da competição sul-americana pela Universidad Católica com duas derrotas e perdeu o título estadual para o Inter, nos pênaltis, em pleno estádio Olímpico, em um jogo em que entrou em campo podendo levar 1 a 0 e 2 a 1 para ficar com a taça. A tábua de salvação de Renato era o Brasileirão, mas a campanha fraca não permitiu. Apenas duas vitórias, contra Atlético-PR e Bahia; uma sucessão de empates dentro de casa – Vasco e Avaí; e derrotas fora – São Paulo e Botafogo – encerraram o ciclo do treinador no comando do Grêmio.