domingo, 6 de julho de 2014

Jogadores argentinos entoam canto da torcida que chama Brasil de freguês

Após a vitória nas quartas de final da Copa do Mundo sobre a Bélgica, os jogadores da seleção argentina entraram no clima da torcida e cantaram a música "Brasil, decime qué se siente”, que lembra as glórias argentinas contra o Brasil, em referência ao Mundial de 1990. Os mais eufóricos no vídeo são Messi, Di María, Agüero e Romero. A canção é uma versão de "Bad Moon Rising", da banda americana Creedence Clearwater Revival, que fez sucesso nos anos 60 e 70, e o ritmo é entoado em vários outros cânticos de torcidas argentinas. 

Inter colocará estatua de Fernandão de bronze, em tamanho natural no Beira Rio

Um mês do falecimento do ídolo colorado Fernandão, que sofreu um acidente de helicóptero na cidade de Aruanã, interior de Goiás, e não resistiu. Em memória ao craque, o Inter pretende oficializar um total de nove homenagens, número que simboliza a camisa utilizada pelo ex-capitão. A primeira homenagem será uma estátua para o jogador. Com 1,89m de altura, em tamanho natural, Fernandão será retratado erguendo a taça do Mundial, no momento histórico protagonizado por ele na conquista na taça no Japão, em 2006, quando o Inter venceu o Barcelona por 1 a 0. A estátua será de bronze e ficará no pátio do Beira-Rio, atrás do Memorial que os torcedores improvisaram para o atleta, com mensagens, fotos e bandeiras. A diretoria do Inter também fará uma cobertura para preservar e imortalizar o Memorial. Além disso, a equipe aguarda uma resposta da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para quem pediu que a camisa 9 não seja mais utilizada no Campeonato Brasileiro. Caso a CBF aceita, o atual camisa 9, se tornaria o camisa 99. Mas a medida, se for aprovada, só será adotada até o fim desta temporada.

NEYMAR PODE JOGAR A FINAL?


De acordo com o portal Globoesporte.com, o atacante, seus familiares e médicos especializados em coluna conversaram sobre a possibilidade do camisa 10 estar em condições de disputar a grande final, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Liberado pela Seleção para tratar-se em casa, o médico do Santos, Mauricio Zenaide, o fisioterapeuta do clube, Rafael Martini, e o especialista em coluna Nicola Carneiro discutiram sobre as condições de realizarem infiltrações de analgésico para diminuir a dor e, assim, o atleta estar apto para a partida. O tratamento começaria na quarta (10), um dia após a semi, com injeções de analgésico para isolar a área da fratura e permitir que o atleta recupere os movimentos. Contudo, o procedimento não é garantia de que Neymar possa disputar a final. Segundo o gestor de imagem do atleta, Eduardo Musa, a possibilidade de realizar as infiltrações não foi confirmada, mas também não foi descartada.

"A versão oficial é que ninguém agora está pensando nisso. Estamos pensando na recuperação do Neymar, não em carreira", disse Eduardo.

Mesmo com a esperança de uma possível escalação do atacante na decisão, o departamento médico da Seleção descarta a participação do craque na final, pois seus movimentos tornariam-se comprometidos, principalmente os de rotação, muito utilzados pelo camisa 10 nas partidas. Ainda segundo o staff da Amarelinha, uma escalação de Neymar retardaria a consolidação da fratura, estipulado, inicialmente, entre 40 e 45 dias. A lesão sofrida por Neymar, na região conhecida como L3, segundo os especialistas, é a menos grave das possíveis na região.

Campeonato brasileiro vai voltar com novidades


O Brasileirão retornará em 16 de julho ainda mais competitivo. Os clubes deram férias a seus jogadores e também fortaleceram a parte física, técnica e tática de suas equipes. E, claro, buscaram reforços no mercado. Os que vieram do exterior poderão estrear de imediato, já que a janela de transferências reabre no dia 14 — e fecha em 13 de agosto. A principal novidade é Kaká, que retorna ao futebol brasileiro para jogar no São Paulo, onde iniciou a carreira. Outra contratação de destaque foi Giuliano, ex-Dnipro, da Ucrânia, repatriado pelo Grêmio. E o Inter apostou na velocidade do argentino Martín Luque, que veio do Colón, da Argentina. 


FONTE: CLICRBS