terça-feira, 15 de agosto de 2017

Meia Athos e meia atacante Washigton ajudaram a colocar o Fantasma de Ponta Grossa na série C do Brasileiro


O Operário Ferroviário de Ponta Grossa do Paraná, está na Série C do Campeonato Brasileiro 2018. O Fantasma, time do meia Athos e do meia atacante Washington, que vestiram a camisa do Pentacolor, venceu o Maranhão na noite de segunda-feira (14) pela partida de volta das quartas de final da Série D do Campeonato Brasileiro. O jogo aconteceu no Estádio Germano Krüger e terminou 2 a 1. 
Como já havia vencido a ida por 3 a 1, o resultado garantiu ao alvinegro o acesso e a classificação para a semifinal da D. Athos consegue assim, mais um acesso, ele que esteve na Chapecoense, onde também ajudou o time a subir por duas oportunidades.
O Operário iniciou a partida com Simão, Danilo Báia, Alisson, Sosa, Peixoto, Chicão, Índio, Athos, Washington, Quirino e Lucas Batatinha. No segundo tempo, entraram Robinho, Schumacher e Jean Carlo nos lugares de Athos, Quirino e Lucas Batatinha.
Na semifinal da Série D, o Fantasma enfrenta o Atlético Acreano. A primeira partida será fora de casa e a decisão no Germano Krüger.

Veranópolis: Atletas da AAV jogaram no C.T. do Grêmio


No sábado pela manhã, dia 12, alguns alunos da AAV tiveram um oportunidade única, pois disputaram um torneio no Centro de Treinamento Hélio Dourado do Grêmio Football Portoalegrense. As categorias sub11 e sub13 disputaram um total de 6 partidas obtendo 2 vitórias, 1 empate e 3 derrotas. Os resultados não foram suficientes para alcançar as semifinais da competição, porém alguns alunos foram elogiados pelo avaliadores tricolores. A competição foi muito bem organizada e entrará para o calendário de eventos da AAV.

Definidas equipes que sobem da D para a série C do Campeonato Brasileiro


Dos 68 clubes que iniciaram a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro 2017, quatro se destacaram e garantiram o acesso à Série C do ano que vem. Dois deles se orgulham de chegar à Terceira Divisão do futebol nacional pela primeira vez: Juazeirense-BA e Globo-RN. Os outros também têm muitos motivos para comemorar. Depois de 25 anos, o Operário-PR retorna à Série C, enquanto o Atlético-AC volta após 22 temporadas. 

Dois acessos inéditos

Fundada em 2006, na cidade de Juazeiro (BA), a Juazeirense vem conquistando, a um passo de cada vez, seu espaço no cenário do futebol brasileiro. Depois de sua fundação, chegou à primeira divisão baiana em 2011, quando foi campeão da Segunda Divisão do Campeonato Baiano. Dois anos depois, ficou em terceiro lugar na competição estadual, o que a credenciou para a inédita participação na Série D – saiu ainda na primeira fase. Em 2016, disputou pela segunda vez a Série D, onde chegou mais longe: na terceira fase. Neste ano, emendou mais uma participação na Quarta Divisão do Campeonato Brasileiro e chegou ao inédito acesso à Série C. Em 12 jogos, o Cancão de Fogo teve quatro vitórias, sete empates e apenas uma derrota. Com a campanha, a equipe baiana se classificou à fase semifinal e, consequentemente, garantiu vaga na Terceira Divisão do Brasileiro em 2018.

O Globo Futebol Clube foi fundado em 18 de outubro de 2012, a partir da ideia do empresário Marconi Barretto de criar uma equipe de futebol na cidade de Ceará-Mirim, localizada a 30 km de Natal e sede do Globo. Em apenas cinco anos de existência, o clube potiguar já reúne resultados desportivos de expressão em âmbito regional e nacional. Em seu primeiro ano de atividades, a Águia conquistou a Segunda Divisão Potiguar e alcançou a elite do estadual. De lá para cá, já foram dois vice-campeonatos do Potiguar, inclusive o da atual temporada. O Globo participou das últimas três edições da Copa do Brasil e já garantiu sua classificação para o torneio em 2018. Na disputa da Série D em 2017 – quarta participação das Águias na competição em apenas cinco anos de história do clube – a equipe potiguar chegou às semifinais e, de quebra, garantiu o inédito acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. A histórica campanha do Globo teve nove vitórias e três derrotas nas 12 partidas disputadas pela equipe até o atual estágio do torneio. Agora, o Globo se concentra na briga pelo título, que seria a primeira conquista nacional do clube.

O retorno à Série C

O Atlético-AC foi fundado em 27 de abril de 1952 por um grupo de comerciantes sírio-libaneses. Originalmente batizado de Beiruth, a equipe sediada em Rio Branco, capital do Acre, é uma das mais vitoriosas do Estado. O Atlético é o atual bicampeão estadual e dono de oito conquistas do Campeonato Acreano ao longo de seus 65 anos de existência. O Galo Carijó soma quatro participações na Copa do Brasil: em 1992 – sua melhor campanha registrada no torneio – 2013, 2015 e na atual edição de 2017, quando foi eliminado na primeira fase. Pela Série D do Campeonato Brasileiro, o Atlético-AC fez sua estreia em 2012. Participou também das edições de 2014 e 2016, nesta última fechou a competição no quinto lugar, melhor desempenho até então. Em sua quarta participação na competição, o Atlético desbancou os rivais e alcançou as semifinais da Série D pela primeira vez. Em 12 partidas, o Galo Carijó teve sete vitórias, três empates e apenas duas derrotas. Graças à inédita campanha, garantiu a classificação para a Série C do Campeonato Brasileiro. Será a terceira participação do Atlético-AC na Terceira Divisão Nacional.

Em 1º de maio de 1912, na cidade de Ponta Grossa (PR), nascia o Operário Ferroviário Esporte Clube. O segundo clube mais antigo do Estado em atividade atualmente. A primeira participação no Campeonato Brasileiro foi em 1979, quando ficou em 88º lugar entre os 94 participantes. Depois, disputou a Série B em três anos (1989, 1990 e 1991). Alcançou a melhor posição em 1990, ficando em quinto lugar. Jogou a Série C apenas uma vez, em 1992, e terminou em sexto. Depois disso, foram três participações na Série D (2010, 2011 e 2015) e duas na Copa do Brasil (2012 e 2016). Neste ano, após nove vitórias e três derrotas nas 12 partidas disputadas, o Fantasma garantiu vaga na Série C do Brasileirão em 2018 e também está na briga pelo título da Série D, o que seria sua primeira conquista a nível nacional.

Nova Prata: União Acadêmica com o apoio da prefeitura desenvolve o projeto das escolinhas

O Projeto Escolinhas do União, Futsal, Voleibol, Atletismo Masculino e Feminino a partir dos 11 anos. No Futsal e no Voleibol as crianças estão sendo trabalhadas à partir dos 10 anos. No Atletismo a partir dos 08 anos os pequenos atletas iniciam sua preparação. Segundo analise tudo está está indo muito bem. A escolinha é aberta para toda comunidade de Nova Prata, e isso graças a uma parceria com o Município de Nova Prata. A direção do União está comunicando que em breve mais uma modalidade será oportunizada para crianças interessadas, será o Basquetebol, que já está ativo desde fevereiro deste ano de forma voluntária com uma equipe Juvenil em parceria com o Instituto Estadual Tiradentes. O Projeto Escolinhas do União em breve terá mais novidades. As informações foram passadas pelo professor Pedro Martins.