sábado, 14 de março de 2015

Resumo da 3ª Rodada Divisão de Acesso 2015

Na quarta-feira (11), pelo Grupo A da competição, o Glória após vencer o São Luiz por 3 a 1, assumiu a ponta da tabela, com 6 pontos. Nos outros três jogos houveram empates: Santo Ângelo e Brasil – FAR empataram em 0 a 0. Brasil-FAR está em oitavo lugar no grupo, com 2 pontos. Tupi e Panambi empataram em 2 a 2 e Esportivo e Nova Prata em 1 a 1. A equipe do Nova Prata está em segundo na tabela, a apenas um ponto do líder. 
Na quinta-feira (12) pelo grupo B, o Guarani-VA líder do grupo, venceu Rio Grande de 1 a 0. O time do Rio Grande, em última posição, ainda não pontuou. São Gabriel empatou em 1 a 1 com Inter de Santa Maria e o Riograndese teve sua primeira vitória na competição, venceu o time do Santa Cruz por 3 a 2.

Passo Fundo quer ingressar no G8 no jogo contra o VEC

O elenco do Esporte Clube Passo Fundo se reapresentou, na tarde de sexta-feira, após a importante vitória sobre o Brasil, de Pelotas, a terceira consecutiva no Gauchão 2015. Sem tempo para descansar, o Tricolor iniciou a preparação para o duelo deste domingo (15), quando recebe o Veranópolis, no Estádio Vermelhão da Serra, a partir das 19h. Em busca de um lugar no grupo dos oito primeiros colocados – o Tricolor ocupa atualmente a nona colocação –, o objetivo dos comandados do técnico Beto Campos é garantir mais três pontos. "Será um jogo muito difícil, mas estamos num momento de ascensão e temos de aproveitar novamente o fator local. Miramos o G-8, e certamente a vitória nos dará essa condição", afirma o atacante Branquinho, um dos destaques da equipe nas últimas rodadas. Com a expectativa de casa cheia e apoio do torcedor rumo ao G-8, a direção do Passo Fundo manteve o preço dos ingressos da partida contra o Brasil. Um lugar na arquibancada custa R$ 25,00. Mulheres, estudantes (com carteirinha) e idosos pagam R$ 15,00, enquanto adquirentes do Plano Sócio Torcedor e crianças até 12 anos não pagam.

E. C. PASSO FUNDO x VERANÓPOLIS

DATA: 15/03/2015 (domingo)
HORÁRIO: 19h
LOCAL: Estádio Vermelhão da Serra, em Passo Fundo
INGRESSOS: Arquibancada – R$ 25,00
Mulheres, estudantes (com carteirinha) e idosos pagam R$ 15,00
Sócio Torcedor e crianças até 12 anos não pagam
ABERTURA DOS PORTÕES: 18h
A 96,1 FM transmite o jogo para você.

Matéria do VEC no ClicRBS. Confira:

Quando o Caxias sequer cogitava a possibilidade de entrar na zona de rebaixamento, o Veranópolis já convivia com ela desde o início do Gauchão. Com trabalho, perseverança, superação e uma dose de sorte, o time do técnico Julinho Camargo se afastou das últimas posições da tabela, ultrapassou o Caxias, livrou três pontos da equipe grená e já começa a sonhar até com a classificação. Neste domingo, às 19h, o pentacolor da Serra enfrenta o Passo Fundo fora de casa com a moral elevada após o heroísmo do goleiro Matheus na última quarta-feira. O VEC empatava com o Avenida no Antônio David Farina até os 47 minutos do segundo tempo, quando Afonso fez um gol de falta. Porém, aos 50, tudo poderia ir por água abaixo em um pênalti para o adversário. Só que não. O goleiro Matheus Cavichioli, 28 anos, espalmou no alto o chute de Tinga e ouviu seu nome gritado pela torcida: 

— Foi demais! Comemoramos muito, mas estamos no sufoco ainda. Esses três pontos nos fazem até sonhar com algo maior. Fui muito cumprimentado. 

Foram várias rodadas entre os três últimos colocados, algumas boas atuações com derrotas e muitas oportunidades de gol desperdiçadas ao longo de 10 partidas. Até que o esforço do dia a dia deu resultado: na pressão dos últimos três jogos, duas vitórias e um empate.

— Ainda é uma colocação complicada. Uma nova vitória nos tira do perigo de rebaixamento de vez, mas uma derrota nos joga lá para baixo de novo. Estamos jogando bem e numa crescente no momento certo — avalia o goleiro. 

Sobre ser o herói do time, Matheus tenta desconversar, mas admite aquele gostinho bom de ter o trabalho com o treinador de goleiros Diego Quadros, o Xau, valorizado: 

— É legal aparecer num momento como esse, ver a torcida gritando o nome e ter o reconhecimento do trabalho, mas é bem melhor os heróis serem lá da frente. Nós lá de trás carregamos o piano e a galera lá da frente toca. Quanto menos eu aparecer atrás, melhor para a equipe. 

Trabalho, perseverança, superação e heroísmo. Os segredos do VEC para o desesperado Caxias na reta final do Gauchão.

Fonte: ClicRBS