quinta-feira, 29 de junho de 2017

Parai: Escola de futebol do Grêmio/Paraí esteve em Porto Alegre


A Escola oficial do Grêmio da cidade de Paraí, coordenada pelo professor Everaldo e sua equipe, estiveram participando de jogos em Porto Alegre contra categorias de base do Grêmio.  As categorias que atuaram nestes confrontos foram sub11, sub13 e sub15, e ao todo foram 55 atletas da  escola do Grêmio do Parai que participaram destes jogos. As partidas de futebol aconteceram no CT do Cristal, um dos centros de treinamento do Grêmio.  

CBF e Fenapaf: Agora é lei, intervalo de uma partida para outra para jogadores profissionais será de 66 horas


O repórter esportivo da 96,1 FM Eduardo Colla, destaca uma matéria que foi assunto em parte da imprensa do país, e que diz respeito direto ao futebol, e a peça principal desta engrenagem, o jogador de futebol.   Depois de mais de quatro anos de discussão, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) chegaram a um acordo na última terça-feira com relação ao intervalo necessário para um jogador disputar duas partidas: 66 horas - entre o fim da primeira e o início da segunda.
Pelo acordo acertado na terça-feira no TRT da 15.ª Região, em Campinas (SP), a nova regra estará no Regulamento Geral de Competições da CBF a partir de 2018. Para este ano, a entidade que comanda o futebol brasileiro fará uma resolução para informar as federações para que cumpram o combinado.
Os clubes que desobedecerem e levarem um atleta para uma partida em um intervalo inferior a 66 horas serão julgados com base no artigo 214 da Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata de atletas irregulares e prevê a perda de pontos e multas.
O acorda dá fim a um processo ajuizado na 8.ª Vara do Trabalho de Campinas pela Fenapaf em 2013. Na época, a entidade, através de uma ação civil coletiva, solicitou a interferência da CBF para que atletas não disputassem duas partidas em menos de 72 horas ou, em casos excepcionais, 66 horas. Mas a CBF disse que não poderia intervir em jogadores que têm condições legal de jogo. Em 2014, a justiça havia definido o intervalo de 72 horas, mas ambos recorreram.
O presidente do TRT da 15ª Região, desembargador Fernando da Silva Borges, ressaltou a importância do acordo, pontuando que "além de contribuir para a preservação da higidez física dos atletas e fortalecer a prática do entendimento entre as partes, amplamente difundida pela Justiça do Trabalho, essa homologação abrange todas as competições coordenadas pela CBF, daí a sua abrangência nacional".
Na avaliação do procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho de Campinas, Eduardo Luís Amgarten, o acordo estabelece um paradigma, garantindo uma regulamentação. "Não tínhamos nada a respeito regulamentando um intervalo mínimo entre partidas. A saúde do atleta fica comprometida a médio e a longo prazo, levando a um prejuízo incalculável. Trata de uma ação de nível nacional ajuizada no TRT-15, com repercussão em todo o futebol brasileiro. Para nós é motivo de orgulho a emissão desse paradigma que beneficia o atleta profissional".

Nova Prata: Liga do Prata caminha para seu final

No final de semana passado aconteceu mais uma rodada da Liga do Prata de futsal. Os resultados do dia 25/6 pela liga na série ouro foram os seguintes:

Napoli 4 x 4 Barcelona 
Rodrigues 7 x 3 River 
Na série prata os jogos apontaram os seguintes resultados:

Tabajara 0 x 7 Parma 
Galáticos 4 x 6 Manchester

Agora a Liga do Prata se encaminha para a última rodada, e os jogos acontecerão no próximo final de semana. Confira: