sexta-feira, 18 de abril de 2014

Confira as maiores promessas do Brasileirão 2014

O futebol brasileiro é pródigo em forjar novos talentos da bola a cada ano. E o Campeonato Brasileiro é a grande vitrine para esses garotos. Entre os selecionados, nomes já em voga, como o de Gabriel, do Santos, e Wendell, do Grêmio, e outros nem tão badalados, como Valdívia, do Inter, e Marcos Guilherme, do Atlético-PR.
Wendell (Lateral esquerdo, 19 anos, Grêmio) - Titular da lateral esquerda do Grêmio, Wendell nem sequer deve chegar ao fim do Brasileiro. A revelação tricolor já está negociada com o Bayer Leverkusen.
Valdívia (Meia, 19 anos, Internacional) - A habilidade e a aparência transformaram Wanderson Ferreira de Oliveira em Valdívia. Foi artilheiro da Copinha em 2012 pelo pequeno Rondonópolis, o que despertou a atenção do Inter, que não perdeu tempo e contratou o meia.
Boschilia (Meia, 18 anos, São Paulo) - Boschilia é meia, mas também pode jogar como segundo atacante. Deve ganhar mais espaço no time de cima do São Paulo nesta temporada. Em 2013, foi o vice-artilheiro do Mundial sub-17, com seis gols.
Stéfano Yuri (Atacante, 19 anos, Santos) - Artilheiro da última Copinha, com nove gols, Stéfano Yuri pipoca como opção a Leandro Damião no ataque do Santos. Quando entrou em campo, correspondeu, fazendo dois gols decisivos pelo Peixe no Paulistão. 
Gabriel (Atacante, 17 anos, Santos) - Badalado desde os 14 anos, Gabriel, ou Gabigol, encabeça a nova safra de 'Meninos da Vila'. É o vice-artilheiro do Santos na temporada, com oito gols, e só perdeu a posição no Paulistão com a chegada de Damião ao Peixe. Mesmo assim, é uma espécie de '12º jogador' de Oswaldo de Oliveira.
Mosquito (Atacante, 18 anos, Atlético-PR) - Com a saída de Adriano, Mosquito é nome certo no ataque do Furacão nesta temporada. Ágil e com faro de gol, já recebeu sondagens de Manchester United e Manchester City.
Marion (Atacante, 22 anos, Atlético-MG) - Depois de Bernard, Marion é mais uma grata notícia vinda da base atleticana. Joga como ponta ou meia aberto. Teve oportunidade entre os titulares em jogos pela Libertadores e pelo Mineiro.
Alex Silva (Lateral direito, 19 anos, Atlético-MG) - Sem lateral esquerdo de origem, Paulo Autuori teve de recorrer a Alex Silva, lateral direito de ofício, para a posição. E ele não decepcionou. Tanto é verdade que o Galo correu para renovar o contrato do jogador, que agora vence em 2017.
Marcos Guilherme (Atacante, 18 anos, Atlético-PR) - Apesar a pouca idade, Marcos Guilherme já mostrou seu poder de decisão, ao marcar gols contra Paraná e Londrina no mata-mata do Paranaense. Seu futebol já interessa a clubes europeus.
Reginaldo (Lateral direito, 21 anos, Coritiba) - Com a camisa do Maringá, Reginaldo foi eleito o melhor jogador do último Campeoato Paranaense. Sem hesitar, o Coritiba se apressou e contratou a revelação.
Gegê (Meia, 20 anos, Botafogo) - Foi lançado no Fogão em 2013 pelo então técnico Oswaldo de Oliveira. Meia de drible fácil e grande qualidade nos passes, já fez gol em clássico contra o Flamengo, no Brasileirão do ano passado.
Malcom (Meia, 16 anos, Corinthians) - Malcom é visto como o 'salvador' num clube pouco notabilizado em revelar novos jogadores. Canhoto e dotado de grande habilidade, gosta de jogar aberto pela direita, cortando para o meio. Está nos planos de Mano Menezes para o restante da temporada.
Samir (Zagueiro, 20 anos, Flamengo) - Zagueiro de porte, com boa saída de bola, Samir acabou ficando marcado pela falha grotesca na derrota do Flamengo para o Bolívar, pela Libertadores. A pixotada, no entanto, não deve comprometer sua permanência no time titular de Jayme.
Luan (Atacante, 20 anos, Grêmio) - Centroavante na base, Luan pode jogar muito bem também como segundo atacante e meia. Tamanha versatilidade o fez ganhar chances no time comandado por Enderson Moreira. O corpo franzino ainda o atrapalha no jogo de corpo contra zagueiros rivais, mas Luan é tido como futuro xodó da torcida gremista.
Anderson Talisca (Atacante, 20 anos, Bahia) - De pé esquerdo, Talisca encaminhou o título estadual para o Bahia, marcando gols decisivos contra Vitória da Conquista, Vitória e Galícia. Foi eleito o craque do Campeonato Baiano.
O 'top 15' de promessas do Brasileirão poderia ir além. Jogadores como Douglas Coutinho (Atlético-PR); Michael (Fluminense); Marquinhos Pedroso (Figueirense) e Wallace (Cruzeiro) também deve despontar ao longo da temporada.
FONTE: PLACAR

Yaya Touré desabafa: 'Ainda olham para os africanos como animais'

  • Um dos jogadores que mais lutam contra o racismo no mundo, o meia Yaya Touré deu uma entrevista à BBC e mostrou sua indignação pelo modo como os africanos ainda são tratados na Europa. Jogando no velho continente desde 2005, o atleta do Manchester City e da seleção marfinense lamentou muito a falta de reconhecimentos da imprensa para os africanos. "Se nós jogamos bem e não temos o reconhecimento da imprensa, nós não vamos chegar onde queremos. As pessoas ainda olham para os africanos como animais. Tenho orgulho em ser africano, quero defender todos os africanos e mostrar que os jogadores africanos podem ser tão bons quanto os europeus e sul-americanos", afirmou Touré. O meia ainda comentou que jogadores como Messi e Cristiano Ronaldo são reconhecidos na África, enquanto ele ninguém sabe quem é na Europa."Se formos a qualquer lugar na África as pessoas vão dizer que conhecem Messi, mas o mesmo não acontece na Europa quando alguém pergunta por Yaya Touré. As pessoas vão dizer 'quem é esse?' alguns até podem conhecer o nome, mas não associam a cara", completou.









Gilmar Dal Pozzo inicia Brasileirão como o técnico há mais tempo na mesma equipe


No dia 16 de abril, o técnico Gilmar Dal Pozzo completou 19 meses no comando da Chapecoense. Contratado no dia 11 de setembro de 2012, estreou oficialmente na casamata cinco dias depois, na goleada por 4 a 0 diante do Caxias, pelo Campeonato Brasileiro da Série C. Quando chegou, encontrou uma equipe na sexta colocação em um grupo com oito concorrentes, próximo da zona do rebaixamento. De lá para cá, a história é conhecida do grande público, ou seja, o treinador criado no interior do Rio Grande do Sul tornou-se o maior de todos os tempos no clube catarinense.
           O resgate do orgulho da torcida era uma das metas logo que assumiu o vestiário do chamado Verdão do Oeste. E jogo a jogo, como faz da sua metodologia de trabalho uma regra, Dal Pozzo foi mostrando que a coerência e o comprometimento em prol de um objetivo poderiam levá-lo adiante. Com o grupo de jogadores ‘nas mãos’, dada sua liderança e forma de agir, atingiu a tão sonhada vaga na Série B de 2013, em uma partida épica diante do Luverdense, em Chapecó. O resultado permitiu até perder no confronto de volta, no Mato Grosso.
          Se o ditado aponta que contra fatos, não há argumentos, os números comprovam a eficiência e o equilíbrio do comandante. Com uma defesa sempre sólida, volantes com alto poder de marcação, boas saídas para o contragolpe e ofensividade, tem um percentual de 61,90% em 91 partidas, o que em campeonatos de pontos corridos coloca um clube dentro do chamado G4.  
          A excepcional Segundona, sendo o time que menos perdeu ao longo do ano, sustentando uma invencibilidade que chegou a 14 confrontos na competição, alçou Dal Pozzo, com méritos, a ser escolhido por sites especializados, o melhor técnico da Série B. A façanha tornou-se ainda maior por ser o primeiro treinador a subir duas divisões consecutivamente com a mesma agremiação.
          Outro dado importante a ser salientado está na disputa da Copa do Brasil, que retornou por conta do vice-campeonato catarinense, onde perdeu o título na final apenas pelo saldo de gols em 2013. Além disso, a repetição da boa aparição em 2014, mesmo com a mudança esdrúxula do regulamento, onde em 19 partidas na competição regional venceu 10 e perdeu somente quatro. Ou seja, caso o regulamento fosse de pontos corridos, conquistaria o título duas vezes. Mesmo assim, vencendo a Taça Santa Catarina, garantiu vaga na Copa do Brasil 2015.
         Gilmar Dal Pozzo, embora encontre restrições de críticos locais, começará o Campeonato Brasileiro da Série A defendendo 48 vitórias e 25 empates em sua trajetória na Chapecoense, com 139 gols marcados, sendo o técnico que está há mais tempo no comando ininterrupto dentre todos os concorrentes da elite do futebol nacional. 

NÚMEROS TOTAIS
91 jogos
48 vitórias
25 empates
18 derrotas
139 gols pró
74 gols contra
61,90% de aproveitamento

CATARINENSE - 2013 e 2014
41 jogos
22 vitórias
11 empates
8 derrotas
58 gols pró
37 gols contra
62,60% de aproveitamento
  
CONQUISTAS
- Taça Santa Catarina (2014)
- Acesso para a Série A (2013)
- Vice-campeonato do Campeonato Catarinense (2013)
- Acesso para a Série B (2012)

Fonte: Peleia FC