quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Trocando ideia; Nossas cidades estão crescendo. Que esporte queremos?


Nesta semana o jornal O Estafeta, preparou uma matéria muito interessante para você leitor. De onde vem os novos veranenses? É isso mesmo, o IBGE divulgou em 01 de julho de 2019 que Veranópolis possui 26.241 habitantes, e os novos veranenses vieram de outras cidades, de outros estados e até de fora do país. A cidade de Nova Prata também registrou crescimento, e o IBGE divulgou que agora são 27.257 pratenses que, como em Veranópolis, vieram de fora para buscar novas oportunidades. O Índice de Desenvolvimento Sócio-Econômico no Estado das cidades é muito bom, colocam as duas em posições importantes no Rio Grande do Sul. Aqui a qualidade de vida é, como se diz, de primeiro mundo, e proporciona as pessoas que aqui vivem a possibilidade de crescimento. Mas, como esta coluna fala de esportes; para quem torcem esses novos veranenses ou pratenses? Que esporte gostam de praticar? A qualidade do esporte oferecido por estas duas cidades é boa? Não existe uma pesquisa que possa clarear e responder estas perguntas. A olho nu e pelo acompanhamento que faço ao longo destes anos, constatei um crescimento, pequeno, pois poderia ser muito melhor, na questão esportiva. Eu e muitos que trabalham diretamente com o esporte, sonhamos com mais oportunidades para nossos jovens atletas, mas para isso é necessário apoio e infraestrutura adequada. A diferença no esporte que pende a favor de Veranópolis é o clube que representa a cidade e a região no futebol profissional. Mesmo caindo para a Divisão de Acesso, o VEC continua tendo um nome forte no estado, consequência de um trabalho bem estruturado pelas pessoas que fazem o futebol. Nova Prata ainda está devendo neste quesito, mesmo que a ANPE esteja disputando uma competição estadual, mas ainda sem a credibilidade de sua população. Outro dado, a mais de 10 anos em Veranópolis existe a Associação Atlética Veranópolis, entidade que dá oportunidade a novos atletas, especialmente no futsal. Nova Prata também conta com o União Acadêmica, que diferente da AAV que é uma entidade sustentada pelo município, o União é particular, e também faz um trabalho forte com categorias de base. Nas duas cidades existem outras escolinhas de futebol, alguma coisa de vôlei, de atletismo, e muito pouco dos outros esportes. Nossas cidades estão crescendo, novos moradores estão chegando, e consequentemente a responsabilidade pela qualidade do esporte oferecido deve ter uma visão especial de nossas autoridades, de nossos cartolas e das pessoas que promovem a questão esportiva. Muito boa a matéria do jornal nesta semana sobre os novos habitantes desta terra...qualidade de vida passa pela saúde, segurança, educação, trabalho...e esporte...pode sim, é só querer.

Veranópolis: Ademir Bertoglio não é mais gerente do VEC



Tudo na vida tem um inicio e um final. Começamos uma jornada, caminhamos por ela, e aí chega o momento de mudarmos de rumo e buscar novos caminhos. É isso que está acontecendo com o gerente do Veranópolis Esporte Clube Ademir Bertoglio. Depois do Festival do Whisky, Ademir termina seu trabalho no Pentacolor, e parte para uma nova caminhada. A notícia veio através do presidente Gilberto Generosi durante entrevista no programa Show de Bola da 96,1 FM. Segundo o presidente, Ademir ficou indeciso diante da nova proposta e balançou, tendo Generosi dado força para que o profissional possa seguir seu caminho e crescer na profissão que escolheu. Sendo assim, Ademir Bertoglio aceitou, e vai trabalhar como gerente no Penapolense, equipe que disputa a série A2 de São Paulo.


Penápolis é um município do estado de São Paulo, sua população está estimada em aproximadamente 70.000 habitantes. O Clube Atlético Penapolense é conhecido, há muito tempo, como a “Pantera da Noroeste”. O apelido teve origem popular. Quando a equipe despontou para o futebol profissional, e é esta equipe que vai contar a partir de agora como trabalho de Ademir Bertoglio. 

O campeonato Paulista A2 deverá iniciar no final de Janeiro. Ademir permaneceu no VEC por 9 anos, todos na primeira divisão, no último aconteceu a queda para a divisão de acesso. Com o desligamento de seu gerente, o Pentacolor começa a pensar no futuro do clube. A ideia, que foi do próprio Ademir, é de que o novo técnico possa colaborar com a montagem do time, claro que ao lado do diretor de futebol Dirceu Paulo Salla. 

Quanto ao novo profissional para substituir Ademir Bertoglio, ele pode vir, ou melhor, pode estar na cidade mesmo. A direção gostaria de ter no clube uma pessoa que conheça o VEC, podendo ser até um ex-jogador do clube. Agora é esperar o final do festival, para depois as definições acontecerem. Na entrevista do presidente na 96,1, aconteceu a confirmação de que o Veranópolis terá 400 mil reais da FGF para a disputa da Divisão de Acesso, dinheiro este que tradicionalmente é oferecido as duas equipes que caem para a disputa do primeiro ano. Boa sorte Ademir em sua nova caminhada, e que o crescimento profissional aconteça da melhor maneira possível.