quarta-feira, 24 de julho de 2019

Trocando ideia: Dia 19 foi dia do futebol. Será que dá para comemorar?



Amigos, como sabem, o futebol é o esporte mais popular no Brasil. Nossa seleção, a pouco Campeã da Copa América, é considerada uma das melhores do mundo, sendo que conquistamos cinco copas do mundo. Homenagear este esporte é importante para mantermos cada vez mais vivo o futebol, que já faz parte de nossa cultura. Colocado isso; como o país do futebol poderia ficar sem uma data comemorativa para o esporte mais popular em seu calendário? E pensando nisso foi que em 1990 a Confederação Brasileira de Futebol(CBF), escolheu o dia 19 de julho em homenagem ao primeiro time registrado como clube no Brasil, o Sport Clube Rio Grande, o vovô. Apesar de ter chegado no país apenas em 1849 o futebol teve sua origem há muitos anos, aproximadamente de 2.600 a.c, na China, onde era praticado por oito jogadores em cada time, em um campo de quatorze metros. No Brasil, o futebol surgiu através de Charles Miller, nascido no Brás, em São Paulo, que aos nove anos foi estudar na Inglaterra, onde aprendeu a jogar o futebol. Quando retornou ao país, Miller surpreendeu-se ao saber que ninguém praticava o esporte. Por sorte ele trouxe consigo duas bolas, uma agulha, uma bomba de ar e dois uniformes e começou a ensinar o esporte, que é a paixão do povo brasileiro, fazendo do país o maior campeão mundial. Hoje, Charles Miller dá nome à praça em que fica o estádio do Pacaembu, em São Paulo. O primeiro joga de futebol no Brasil aconteceu em 15 de abril de 1895 entre funcionários de empresas inglesas que atuavam em São Paulo: Funcionários da Companhia de Gás X Cia. Ferroviária São Paulo Railway. Um pouco, bem breve, da história do futebol, esse esporte que teve altos e baixos em sua trajetória. Mas meu amigo, a situação do futebol brasileiro é preocupante. Da base ao profissional, dos times pequenos à seleção, a lista de problemas é extensa. Estamos diante de uma cenária onde a CBF, falida moralmente, fica cada vez mais rica enquanto os clubes, pilares de todo o sistema, estão em situação financeira difícil. Você sabe qual é a real situação financeira do seu time? Como anda o trabalho na base? A infraestrutura do clube é boa? Os profissionais que trabalham nele são honestos? A marca está expandindo? São perguntas que você torcedor, deve se fazer. Torcer é bom, bem melhor quando seu time ganha títulos, mas futebol não é somente isso. Futebol é dinheiro, e sem ele não se tem a alegria do gol. Alguns saudosistas podem falar que antigamente se jogava pela camisa, hoje amigos, se joga futebol pela qualidade que se oferece aos jogadores, a estrutura do clube, os benefícios, e sim, os salários, que em clubes de ponta são altos. Mas o futebol brasileiro meus queridos, é feito também por pequenos clubes, e estes sofrem, principalmente por falta de dinheiro, de recursos. Dinheiro este que tem de sobra na CBF, mas que nunca vem para as equipes brasileiras que disputam uma série, do tão falado campeonato brasileiras, em alguma de suas categorias menores. O que chega são migalhas que não ajudam a melhorar o futebol do país. Pois então, dia 19 foi o dia do futebol, sem muitas comemorações, mas com uma carga de paixão incontestável por parte de todos nós torcedores.

Veranópolis: AAV no III Encontro Nacional da Arte Capoeira em Nova Prata


Alunos da AAV participaram do III Encontro Nacional da Arte Capoeira que aconteceu na cidade de Nova Prata. O evento contou com a presença de profissionais de 6 estados brasileiros e contemplou alunos oriundos de inúmeros municípios do estado. 


Durante a programação, ocorreu um Curso de Aperfeiçoamento Técnico de Capoeira com o renomado Mestrando Taturana, do Rio de Janeiro, visando a melhoria e a capacitação dos participantes. 


Além disso, houve também uma aula coletiva na Praça da Bandeira e um Show Cultural aberto ao público na Casa da Cultura. Durante o Show Cultural, ocorreu o Batizado e a Troca de Cordas dos alunos, entre eles os alunos da AAV que atingiram os objetivos propostos nas aulas de capoeira. Essa troca de graduações serve de estímulo para que os praticantes se envolvam com a modalidade e alcancem novos objetivos.
A modalidade Capoeira da AAV é uma parceira com o ABADÁ é ministrada pelo graduado Willian Rodigheri.

Antônio Prado: O ala Adriano, que iniciou em Antônio Prado, vai jogar em Portugal


Jogador que teve o início de sua trajetória vestindo a camisa do Antônio Prado, vai jogar em Portugal. Adriano Lemos da Silva, foi campeão da Sub17 do estado pela SER Antônio Prado, e daí em diante iniciou sua trajetória no futsal nacional. Adriano estava jogando pelo Joaçaba na liga, e acabou recebendo proposta para vestir a camisa do Centro Cultural Recreativo e Desportivo de Burinhosa, localizado em Pataias, Alcobaça, Distrito de Leiria em Portugal. Samuel Rodrigues, diretor da equipe de Antônio Prado, manifestou sua alegria, por saber das qualidades de Adriano, e por ele ter iniciado sua trajetória vestindo a camisa Pradense.

Confira a reportagem do site especializado do Futsal de Portugal