quinta-feira, 6 de março de 2014

No Jogo Esportivo X VEC, Márcio Chagas foi vítima de racismo.

O árbitro Márcio Chagas da Silva recebeu Zero Hora se emocionou ao explicar o ato de racismo que ele sofreu antes, durante e depois do jogo do Esportivo com o Veranópolis, na quarta-feira à noite, no Estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. Um grupo de cerca de 20 torcedores do Esportivo o chamou repetidas vezes de "macaco selvagem" aos gritos e com uma fúria "impressionante", como disse o árbitro, que relatou o caso em súmula da partida enviada para a Federação Gaúcha de Futebol (FGF).
Ao chegar no local de estacionamento do estádio reservado aos árbitros, Márcio Chagas encontrou o seu carro amassado nas portas provocados por pontapés, com bananas sobre o capô, o para-brisa e no escapamento.
De volta a Porto Alegre, em casa, Márcio Chagas concluiu que deveria denunciar a agressão. Emocionou-se ao ver o filho, Miguel, de 10 meses, dormindo e fez uma indagação para sí mesmo:
- Qual é o mundo que o meu filho vai encontrar?
À reportagem, o árbitro lembrou ter sofrido ofensas semelhantes em um jogo do Encantado, em 2005. Naquele ano, o técnico Danilo Mior o chamou de "negrão coitado" e acabou suspenso das atividades por 60 dias. Passado quase 10 anos, Márcio Chagas constata que o comportamento da torcida e das pessoas do futebol pouco mudou. Daí vem seu desabafo:
- Não quero que o meu filho sofra com as ofensas daqui a 10 anos.
Fonte: Clicrbs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar.