sexta-feira, 20 de junho de 2014

Fifa convoca sete da Costa Rica para antidoping; goleiro considera ato 'desrespeitoso'

Bryan Ruiz foi um dos convocados para fazer o exame após o jogo.
Logo após a surpreendente classificação da Costa Rica nesta sexta-feira, quele que é considerado o "Grupo da Morte" da Copa do Mundo 2014, a Fifa cometeu uma atitude "desrespeitosa" com a equipe caribenha - ao menos nas palavras do goleiro Keylor Navas. Ele foi apenas mais um entre os sete convocados costarriquenhos para a realização do antidoping após a vitória por 1 a 0 contra a Itália, na Arena Pernambuco, em Recife.

Keylor Navas, Celso Borges, Bryan Ruiz, Joel Campbell, Yeltsin Tejeda, Christian Bolaños e mais um jogador ainda não identificado foram os membros da Costa Rica chamados pela Fifa ao exame antidoping. Após o incidente, o goleiro disse que "se sentiu até meio mal" pela atitude da Fifa, considerada "desrespeitosa" - vale lembrar que normalmente a entidade convoca somente dois atletas por time, mas pode chamar quantos quiser.
"Você tem que levar isso com bom humor, pois no final todos nós estamos calmos e felizes de seguir em frente. Eles (da Fifa) podem fazer o que quiserem, são as regras que colocam, se for necessário trazer toda a equipe não vamos ter problema nenhum também", continuou o jogador.
O capitão da equipe, Bryan Ruiz, por sua vez, também fez coro às palavras de seu companheiro de seleção. "Me pareceu um pouco exagerado, mas não podemos fazer nada sobre isso. Não temos nada a esconder. Nos preparamos bem, sem ter uma substância ilegal qualquer. Supõe-se que as pessoas não acreditam que nós estamos realmente fazendo isso (se classificando)", definiu o atleta.
"Eles estão disponíveis, não temos nenhum problema em fazer isso, mas talvez sete é muito exagerada", finalizou Bryan Ruiz.
A Costa Rica se classificou nesta sexta-feira depois de vencer a Itália, avançando em uma chave que ainda tinha mais dois ex-campeões mundiais: o Uruguai e a Inglaterra, esta já eliminada precocemente.