terça-feira, 9 de junho de 2015

"Cidade do Inter" deve sair do papel



O projeto de garimpar talentos da base para utilizá-nos no profissional tomará ainda mais forma a partir de 2016. O centro de treinamentos do clube, batizado de "Cidade do Inter", segue sua incursão e a direção aguarda a liberação de licenças ambientais até o final do ano para decidir como tocará o projeto. Porém, não descarta começar a construção dos campos já na atual temporada para já utilizá-los na próxima. O novo complexo colorado será construído em Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre. O primeiro passo foi dado ainda em dezembro do ano passado, quando ocorreu o lançamento da pedra fundamental. A área total compreende 88,7 hectares. Porém, a direção precisa dos documentos para saber quanto deste espaço poderá aproveitar. 

A intenção colorada é que a "Cidade do Inter" vire um polo turístico. Entre as atrações estão a trilha ecológica, o deslocamento de catamarã, com a travessia de pouco mais de cinco minutos. O Beira-Rio fica em frente ao Guaíba. O espaço abrigará um centro clínico completo, com áreas para serviço social, salas de psicologia, odontologia, nutrição, fisiologia, fisioterapia, departamento médico, sala de procedimentos, eletrocardiograma e raio-x, além de musculação, bem como bares, restaurantes, lojas de conveniência. 

O projeto aponta para um estádio com capacidade para 5 mil pessoas, 10 campos oficiais com grama natural e dois com piso sintético, que serão cobertos, além de torre de imprensa e sala de rádio. O complexo ainda contará com quadra de futsal, piscina de 25m aquecida, hidromassagem, estacionamento para 500 carros, escola aberta à comunidade com biblioteca e área de recreação, refeitório integrado, alojamento para 210 atletas com 70 quartos com três camas e banheiro privativo. Ao ter a real noção de quanto sairá e qual espaço poderá utilizar, o Inter decidirá se buscará um parceiro no mercado ou com a lei de incentivo. A questão dos campos, entretanto, será o pontapé inicial. Pode ocorrer, inclusive, com recursos próprios. A intenção é começar a preparar o terreno para, em 2016, já poder tocar os trabalhos no novo complexo colorado, revela o dirigente: