terça-feira, 28 de julho de 2015

Detalhes sobre a possível volta da Copa Sul-Minas

O calendário do futebol brasileiro está perto de ganhar uma nova competição em 2016. Dirigentes estudam a recriação da Copa Sul-Minas, torneio que já existiu entre 2000 e 2002 — além de uma edição chamada apenas de Copa Sul em 1999. A competição teria a participação de clubes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Minas Gerais — além da provável inclusão de Flamengo e Fluminense, que travam uma batalha com a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro.

Detalhes da Copa Sul-Minas
Datas
Mínimo de 15 datas, entre janeiro e abril. O começo já é previsto para 2016 e o torneio será disputado de forma concomitante aos estaduais. Não há interesse em extinguir os campeonatos dos estados ou favorecer, como uma vaga em uma fase avançada, aos times que disputam o torneio regional.

Quem participa
Três equipes por estado — dois classificados pelo ranking da CBF e um pelo campeonato estadual. Seriam 12 clubes dos estados do Sul e de Minas, além das participações de Flamengo e Fluminense como convidados.

Os clubes que participaram de uma reunião preliminar em Santa Catarina são Avaí, Chapecoense, Figueirense, Joinville (SC), Inter, Grêmio (RS), Coritiba, Atlético (PR), Cruzeiro e Atlético (MG), além do Flamengo. Uma nova reunião ocorrerá no dia 7 de agosto, na Arena do Grêmio.

Formato
Caso o planejamento inicial seja cumprido, serão 14 times (três de cada estado do Sul e Minas, além dos dois cariocas) divididos em dois grupos de sete. Os quatro melhores de cada chave avançam para as quartas de final e, a partir daí, a disputa segue em mata-mata. A final será em um jogo único em um local pré-determinado.

Como ficam os estaduais
Teoricamente, intocados. Os times que jogarem a Sul-Minas entraram em acordo para seguir jogando os estaduais. Na prática, como não haverá classificação automática para fases avançadas, existe uma boa possibilidade de que os clubes usem equipes alternativas enquanto as competições forem disputadas de forma simultânea.

Direitos de transmissão
Três empresas demostraram interesse em exibir o torneio. As propostas serão analisadas com maior profundidade na reunião dos clubes em Porto Alegre, no dia 7 de agosto.

Como será financiada
A grande receita seria obtida por meio da negociação pelos direitos de transmissão — há uma estimativa de até R$ 80 milhões ao todo. Além disso, a Copa Sul-Minas terá atrativos para aumentar a lucratividade aos seus participantes. Das 15 datas previstas, cinco serão Match Days — além dos jogos, os estádios receberão atividades complementares para que o torcedor passe o dia envolvido com a partida. Outra novidade é a final em jogo único, em local pré-determinado. A ideia é fazer com que o evento tenha grande expressão nacional.

Premiação para o campeão
Além do prêmio em dinheiro, os clubes batalham junto à CBF para que o campeão da Copa Sul-Minas também tenha direito a uma vaga na Copa Sul-Americana — seguindo o padrão da Copa do Nordeste e da Copa Verde, as outras competições regionais disputadas no Brasil.

A posição da FGF
O presidente da Federação Gaúcha, Francisco Novelletto, está cético em relação às propostas. Os valores arrecadados com os direitos de transmissão, na visão do dirigente, estão superestimados — além da consequente desvalorização dos estaduais. Novelletto vai se reunir com a CBF na próxima semana para apresentar uma proposta alternativa, com a ocupação de menos datas e apenas dois clubes participantes por estado (sem a presença dos cariocas).