sábado, 17 de outubro de 2015

Veranópolis: Presidentes de clubes do RS discutiram a liberação de bebidas alcoólicas nos estádios

Na semana, os presidentes dos clubes que participam da Série A do Campeonato Gaúcho estiveram presentes para a reunião mensal na Sede da Federação Gaúcha de Futebol. Além de tratar das melhorias que são necessárias para o futebol do interior do Rio Grande do Sul, outro assunto que esteve em pauta foi a liberação de bebida alcoólica nos estádios de futebol. Quem falou sobre o assunto foi o Deputado Estadual Juliano Rosso, criador do “Projeto de Flexibilização da venda de bebidas alcoólicas em estádios de futebol do RS”. A medida prevê atualizar a lei em vigor que proíbe totalmente a comercialização do produto nesses espaços. O projeto visa a venda da bebida durante três momentos: antes do início do jogo, no intervalo e no final da partida. Essa medida seria essencial principalmente para a receita dos clubes. Em vigor desde 2003, o Estatuto do Torcedor veta o porte de “bebidas ou substâncias proibidas” nos estádios. No entanto, a resolução determina que a legislação estadual ou municipal sobre o tema deve ser respeitada. Isso abre brecha para que se libere a venda. Na Copa do Mundo, a Lei Geral da Copa, liberou a venda de bebidas nas arenas durante o Mundial, com isso surgiu um movimento para que a liberação fosse mantida. Alguns Estados liberaram a venda de bebidas nos estádios como Bahia, Minas Geras, Rio Grande do Norte e Espírito Santo, Rio de Janeiro e Goiânia. No Rio Grande do Sul, a Lei Estadual nº 12.916, do deputado Miki Breier (PSB), proíbe a comercialização e o consumo de bebidas nos estádios de futebol e nos ginásios de esportes. O objetivo do deputado Juliano Rosso é obter o apoio dos presidentes de todos os clubes do interior do Rio Grande do Sul e juntos, pressionar os deputados das suas Cidades. Pretende-se ainda neste ano colocar o Projeto em votação para vigorar no Campeonato Gaúcho de 2016. Para o presidente do Veranópolis Esporte Clube, Gilberto Generosi, “proibir a venda das bebidas nos estádios promove mais bebedeiras, pois o indivíduo sabendo que não terá durante o jogo, acaba por embebedar-se antes de ingressar no estádio. Além disso, a receita com as vendas é muito importante para a saúde financeira dos clubes. Esperamos que esse projeto de Lei seja aprovado, e logo”.