sábado, 6 de agosto de 2016

Olimpíadas: Preso por estupro, marroquino perde por W.O. e está fora dos Jogos do Rio

Preso desde sexta-feira acusado de estupro a duas camareiras na Vila Olímpica na última quarta, Hassan Saada, do Marrocos, não compareceu a sua estreia na Rio 2016. Com isso, ele foi eliminado para o turco Nadir Mehmet Unal e está fora dos Jogos Olímpicos. Na hora marcada para a luta, os árbitros apenas anunciaram a derrota de Saada por W.O. (desistência), caracterizada na parte da manhã com a ausência do pugilista marroquino na pesagem oficial das categorias que entram em ação no sábado. Vencedor, Mehmet sequer precisou subir no ringue e não apareceu no Pavilhão 6 do Rio Centro, palco das disputas do boxe. Com a vitória o turco encara nas oitavas de final o cubano Julio Cesar de la Cruz, um dos favoritos da categoria. Segundo informações da imprensa, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou habeas corpus ao atleta. O pedido foi indeferido pelo desembargador Wilson do Nascimento Reis indeferiu na madrugada de sábado (6). Na decisão, o desembargador afirmou não ter encontrado qualquer irregularidade na prisão que justificasse o deferimento do habeas corpus. Sem o comparecimento à pesagem, Saada teve decretada a derrota por W.O.
A prisão temporária de Hassan foi decretada na quinta-feira, dia 4, pela juíza Larissa Nunes Saly, do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos do TJRJ. O atleta foi transferido para presídio de Bangu, na Zona Oeste do Rio. A informação foi confirmada por policiais da delegacia que acompanha a ocorrência. O advogado do marroquino nega que o atleta tenha cometido o estupro.
Segundo polícia, Saada teria chamado as duas camareiras como se quisesse pedir informação. Quando elas entraram no quarto para ver o que o boxeador queria, ele as atacou e começou a apertar as coxas de uma delas e os seios da outra. Hassan Saada estava com mais dois atletas no quarto, que nada teriam feito com as duas mulheres.