quarta-feira, 15 de maio de 2019

O trocando ideia desta semana aborda o futsal, e o futuro do esporte no estado


O assunto desta semana é o futsal, e em especial o futsal de Nova Prata. A trajetória desta prática esportiva nas quadras do estado, para nós, se confunde com a GALERA, equipe que marcou época no salonismo do RS. Particularmente, acompanhei o time azul em grandes confrontos, e memoráveis jornadas. Mas, como em todo o esporte de ponta, faltou o combustível essencial, o dinheiro, e o clube não resistiu e acabou perdendo força. Depois disso, outras tentativas foram realizadas, em Nova Prata e também em Veranópolis, mas nem uma atingiu o sucesso que aquela equipe alcançou. O futsal daqueles anos era diferente, mas também não resistiu, caiu muito e teve pouca divulgação. Sem imprensa forte nem um esporte resiste, e com a falta de verbas, e sem a imprensa ao seu lado o futsal do estado penou por alguns anos. Agora, com o advento da liga do estado, a uma expectativa que o futsal possa ressurgir com mais força, e novas equipes, representando suas cidades, começam a pensar fortemente em participar em uma das séries que são oferecidas no RS. Até 2017, cabia à FGFS organizar e gerir as competições profissionais do futsal no Rio Grande do Sul: assim, os clubes estavam divididos em três divisões, chamadas Ouro, Prata e Bronze. No ano passado, os participantes da Ouro já geriam o próprio campeonato, chamado “Liga Gaúcha”. Aí, na virada de ano, ocorreria a eleição dentro da FGFS. Com o processo impugnado e ainda sob judice, nada menos que 95 equipes migraram da FGFS para a recém-criada Liga Gaúcha de Futsal. Desta forma, futsal hoje apresenta duas alternativas no Rio Grande do Sul: a Liga, que contemplará campeonatos em três divisões – além de outras competições – e a FGFS, que conta com apenas 18 clubes, sendo que todos farão parte de um mesmo campeonato, chamado “Série Ouro”. A maioria das equipes optou pela liga, e os que vêm aí, também têm essa tendência, é o caso do Kalábia de Nova Prata, que hoje disputa a Taça RBS, mas que pretende integrar uma das séries no ano que vem. Neste contexto é preciso fazer um destaque especial, Nova Prata não tem um ginásio adequado para o bom futsal. A quadra utilizada hoje pelo Kalábia e pequena e inadequada, e o ginásio Luiz Antônio Rigo, que tem a quadra ideal, não reúne condições para a pratica do futsal, precisa de reformas já, para poder voltar a receber grandes jogos. Resumo, temos a possibilidade na região de ter o retorno do futsal em nível estadual, mas precisamos de infraestrutura adequada e de um bom planejamento para que não falte dinheiro ali adiante. Em tempo, em Veranópolis o ginásio Leonir A. Farina esta em excelentes condições, e pode receber qualquer jogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar.