domingo, 11 de setembro de 2016

Veranópolis: 4ª Mizuno Uphill Marathon - Serra do Rio do Rastro/SC - Por Marcelo Nalin


Sábado, 03/09/2016 - 15:00hs
4ª Mizuno Uphill Marathon - Serra do Rio do Rastro/SC
Treviso - Lauro Muller - Bom Jardim da Serra/SC
Por Marcelo Nalin

Nunca em 10 anos de corridas por esse mundo afora, a ansiedade, o medo e a incerteza estiveram tão presentes como no dia da largada da Uphill em Treviso/SC, afinal seriam 42.195km de uma prova extrema que começara um ano antes com a confirmação da inscrição por sorteio. Lesões repetidas quase me fizeram desistir, pouco treino (muito descanso), mas não foi dessa vez, o desafio estava marcado e eu estava ali a poucos minutos da largada com um turbilhão de emoções invadindo meus pensamentos. Eram 505 guerreiros perfilados com o sonho de se tornarem um "ninja runner", afinal teríamos que escalar a qualquer custo essa temível serra e seus "demônios". O pórtico de largada, na verdade o portal (Tori), que representa a separação do mundo físico para o mundo espiritual era formado por duas colunas que sustentam o "céu" e por vigas transversais que representam a "terra", que é um símbolo de muito poder e fé para os povos orientais.
Agora entendo, ao passar do portal, nunca mais seremos os mesmos, as portas se abrem em um espetacular show de Kumi-daiko, uma coleção incrível de tambores variados de percussão iniciam seu bailado, taikô na veia, arrepiante, todos nós olhamos incrédulos, emocionados. Eis que uma voz forte e misteriosa ecoa no ar: "se você procura um adversário à sua altura, prazer, tenho 1420 metros, desde os primórdios destemidos povos me desafiaram: eu sou a Serra do Rio do Rastro"! Era a senha que faltava para "transcendermos", e ao som de Enter Sandman do Metallica partimos rumo a conquista da serra e a glória de nos tornarmos um verdadeiro Ninja. Os 30 graus e muita umidade, abafamento total e os primeiros seis kms foram complicados, pesados. Do km sete em diante até o primeiro ponto de controle da prova tudo fluiu, leve e sem muitas complicações, chegamos ao km 17 em Lauro Muller, uma volta enorme dentro da cidade seria o prenúncio de que algo estava errado...será? 
Mais 7kms até o ponto de corte (faltando 18 kms para a chegada) e tudo sob controle, passadas firmes e muita concentração. No km 32 o "bixo" começa à pegar, tiro do bolso da bermuda um gel e uma cápsula de sal, parecem ajudar, mas não muito, as pernas ficam pesadas, a caminhada é inevitável, um tal de 100 metros corre, 100 metros caminha. Os que passam anunciam frases de incentivo e apoio, eu sei que falta pouco ...pouco? Vieram os 34kms no GPS, e fecha o tempo. Chuvisqueiro, neblina e temperatura abaixo dos 10º, faltam só 8 kms, mas os mais difíceis, íngremes...no céu, Deus me ajude...nesse momento fico sabendo que por um erro de logística da organização ao invés de 42.195kms de um maratona teríamos 43,6 kms de prova ( absurdos 1400 metros à mais) e agora ??? (lembram daquela volta a mais?) Fé, vai dar, afinal todos que estavam aí fariam o mesmo percurso! A "escalaminhada" a cada km que passava ficava mais brutal, lenta, desafiadora...ultrapassava alguns pelo caminho com câimbras e dores diversas, outros tantos me ultrapassavam, naquele que parecia um infinito mar de curvas (254 no total), um apoiando o outro sem ressalvas... falta pouco, menos de 1km e uma reta seguida por uma breve descida, não pode ser, estou sonhando, descida a essa altura? Escuto o som dos alto-falantes anunciando a chegada dos outros ninjas, é agora...vou correr...não dá, as pernas estão pregadas no chão, caminho mais algumas dezenas de metros e aí sim...faltando 400 metros as dores somem como em um passe de mágica, consigo correr, as fortes luzes me conduzem á glória, ultrapasso o portal novamente, sou um ninja, cumpri minha missão, venci a serra por ora, porque ela está lá...fria, imponente e desconcertante, esperando pelo próximo round ... será?


Colocação geral: 61º (505º largaram e 370 completaram)
Tempo: 04:29:18hs - 06:25min/km
Trecho 1: 01:51:32hs - 54
Trecho 2 (Serra): 02:37:55hs - 69