segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Veranópolis: No estilo Gauchão, volante Jonatan Lima retorna à Serra para ser o cão de guarda da defesa do VEC


Por: Maurício Reolon
mauricio.reolon@pioneiro.com

Ele é baiano, mas tem a cara do Gauchão. Volante raçudo e brigador, daqueles que não desiste dos lances, Jonatan Lima está de volta ao Rio Grande do Sul para defender o Veranópolis. Após passar por Corinthians, Guaratinguetá e Inter no início da carreira, o volante chegou ao Caxias em 2013, vindo da equipe colorada. Foi quando teve o primeiro momento de visibilidade. Titular na campanha que quase culminou com o acesso à Série B, ele retorna ao Estado para reabrir portas.
– É uma oportunidade boa. Acredito que meu futebol se encaixa muito com o perfil do Gauchão e a equipe está crescendo na sua preparação. Na minha saída do Caxias tive diversas oportunidades, pude escolher entre diversos clubes. Fizemos um excelente campeonato, batemos na trave contra o Luverdense no jogo do acesso, e meu objetivo de voltar ao Sul é conseguir essa visibilidade de novo. Venho por empréstimo do Ituano e quero abrir um novo mercado – destaca o jogador.
A equipe do Veranópolis foi reformulada em relação à que disputou o Gauchão de 2016. Entre atletas mais experientes e jovens apostas, prevalece o equilíbrio técnico. Não existe uma estrela. Jonatan acredita que possa contribuir com a entrega em campo e a qualidade no desarme e na chegada à área adversária nas bolas paradas.
– É um time novo, mas que vai fazer bonito no campeonato. Esses jogos de preparação foram importantes para aprimorar o entrosamento da equipe. Estamos melhorando a cada partida e acredito que chegaremos muito bem para a estreia – projeta.
O cão de guarda da defesa do VEC no Gauchão gosta do rótulo e, mais do que isso, incorpora o espírito gaúcho ao projetar o desempenho dele neste retorno à Serra Gaúcha. Quanto ao primeiro desafio no campeonato, diante do Inter, no próximo domingo, a esperança de que a força do Estádio Antônio David Farina possa fazer a diferença mais uma vez.
– A gente tem um fator casa muito forte. O fato de estrear contra uma grande equipe do futebol brasileiro é um fator a mais para que possamos nos preparar melhor. O VEC será competitivo – diz o jogador.