quarta-feira, 23 de maio de 2018

Veranópolis: Caso de racismo. A versão de uma pessoa que estava lá.

No final da tarde de quarta feira, quando cheguei nos estúdios da 96,1 FM, recebi o telefonema de uma pessoa que queria falar comigo sobre a notícia do ato de racismo que, segundo o jogador que sofreu o ato, aconteceu no estádio do Planalto, em um jogo pela Libertadores do Nordeste, em Veranópolis. O depoimento do rapaz que diz ter sofrido o ato de racismo foi colocado no ar no programa de jornalismo e no esporte da 96, matéria realizada pelos colegas Paulo Cesar e Leandro. Muito bem, a moça que falou comigo por telefone relatou sua versão do fato. Pedi para que ela mandasse para meu e-mail um texto contando o que ela havia visto lá durante o jogo. Sei seu nome, mas ela pediu para que não fosse divulgado, e vou respeitar seu pedido. Ela é estudante de Educação Física, e diz acompanhar várias modalidades esportivas. O texto que recebi é este:


"Boa noite.
Me chamo................... e conversei com você por telefone na tarde de hoje.
Não gostaria que meu nome fosse divulgado, pois como estou sempre acompanhando diversos jogos, tenho medo de sofrer represálias. Mas gostaria que meu relato fosse divulgado, já que a notícia inicial trata-se de uma injustiça.

Sou estudante de educação física e estava assistindo o jogo de futebol no dia 13/05/18 no campo do planalto, aqui em Veranópolis. Deixo bem claro que não sou torcedora de nenhum dos times, (nem conheço os torcedores, já que moro aqui há pouco tempo), apenas assistia ao jogo, como de costume, sempre que possível, acompanho os jogos (não só de futebol) que acontecem aqui em Veranópolis.
Nesse dia, eu estava sentada em um muro que tem na lateral do campo, não torcia pra nenhum time, apenas assitia o jogo junto com alguns amigos.
Diante de todos os comentários que tenho visto nas redes sociais, acho injusto deixar de me manifestar.
Vi a notícia relatando suposto racismo, mas em nenhum momento presenciei qualquer tipo de racismo entre torcedor e jogador ou qualquer pessoa que lá estava.
Presenciei, sim, conflito entre torcidas, uma vez que a torcida do planalto reclamava sobre a marcação do jogo e a torcida do colorado começou se incomodar com isso e ameaçar a torcida do planalto. Eu ouvi ameaças por parte da torcida.
Foi isso.
Reitero: em momento algum ouvi qualquer comentário racista de qualquer pessoa que estava naquele local. Eu seria a primeira pessoa a denunciar.
Eu sou NEGRA, com muito orgulho!

Obrigada pela atenção".

Como sou adepto a filosofia do "ouvir os dois lados", me coloco a disposição para receber mais manifestações. Uma coisa deixo muito claro, não admito preconceito seja ele de que maneira for. Para mim, respeito não tem cor. Tem consciência.